NR15

   A NR 15 é uma Norma Regulamentadora para atividades e operações insalubres que se desenvolvem acima dos limites de tolerância para: Ruído Contínuo ou Intermitente, Ruídos de Impacto, Exposição ao Calor, Radiações Ionizantes, Trabalho sob Condições Hiperbáricas, Radiações Não-Ionizantes, Vibrações, Frio, Umidade, Agentes Químicos Cuja Insalubridade é Caracterizada por Limite de Tolerância, Poeiras Minerais, Agentes Químicos, Benzeno e Agentes Biológicos.
    O Limite de Tolerância está relacionado com a natureza e o tempo de exposição ao agente, que não causará dano à saúde do trabalhador, durante a sua vida laboral. A eliminação ou neutralização da insalubridade deverá ocorrer com a adoção de medidas de ordem geral que conservem o ambiente de trabalho dentro dos limites de tolerância e com a utilização de equipamento de proteção individual.

Quais são os Limites de Tolerância para Exposição ao Calor no ambiente de trabalho?

    Segundo a NR 15, a exposição ao calor deve ser avaliada através do "Índice de Bulbo Úmido Termômetro de Globo" - IBUTG. Em ambientes internos ou externos sem carga solar o IBUTG deve ser = 0,7 tbn + 0,3 tg. Em ambientes externos com carga solar o IBUTG deve ser = 0,7 tbn + 0,1 tbs + 0,2 tg. Considera-se: TBN (temperatura de bulbo úmido natural), TG (temperatura de globo) e TBS (temperatura de bulbo seco).
    Os aparelhos que devem ser usados nesta avaliação são: termômetro de bulbo úmido natural, termômetro de globo e termômetro de mercúrio comum. As medições são efetuadas no local onde permanece o trabalhador. Para fazer a avaliação é necessária a determinação do tipo de atividade (Leve, Moderada ou Pesada). 
    Nos Limites de Tolerância para exposição ao calor, em regime de trabalho intermitente com períodos de descanso no próprio local de prestação de serviço, não é permitido o trabalho, sem a adoção de medidas adequadas de controle nos casos em que o índice ultrapassa 32,2 (atividade leve), 31,1 (atividade moderada) e 30,0 (atividade pesada). Já nos Limites de Tolerância para exposição ao calor, em regime de trabalho intermitente com período de descanso em outro local (local de descanso),  a taxa de  metabolismo média M, ponderada para uma hora, deve estar de acordo com o Índice de Bulbo Úmido Termômetro de Globo - IBUTG.

Qual a importância da Climatização no ambiente de trabalho?

O corpo humano reage às altas temperaturas externas aumentando a circulação sanguínea, fazendo subir a temperatura, perdendo o excesso de calor através da pele. Na medida em que os músculos estão sendo exigidos pelo trabalho físico, parte do sangue flui para a pele liberando o calor. A transpiração é o meio que o organismo utiliza para manter a temperatura corporal interna estável. O suor, no entanto, não pode ser excessivo, apenas na medida em que sua evaporação possa ocorrer e as quantidades de líquido e sais perdidos possam ser repostos adequadamente. Porém, quando o corpo não consegue eliminar o excesso de calor, este fica de certa forma armazenado. Neste caso a temperatura do corpo aumenta. Na medida em que o corpo retém o calor, a pessoa começa a perder a sua capacidade de concentração e, como consequência, torna-se vulnerável a acidentes, irrita-se com facilidade e, frequentemente, perde o desejo de ingerir líquidos.Se a pessoa não for retirada a tempo das proximidades da fonte de calor, podem ocorrer desmaios, entre outros fatores de risco à saúde do trabalhador.

    A instalação de mecanismos técnicos de controle, entre os quais um plano de ventilação do ambiente como um todo e medidas que promovam o resfriamento do local e sobre as fontes de
calor, são fundamentais para a qualidade da temperatura do ar. O resfriamento por evaporação e refrigeração reduzem o calor. Nesse sentido, a importância da instalação de climatizadores no ambiente é primordial.